terça-feira, 23 de março de 2010

NOVELA: SELVA DE PEDRA (1972)

SELVA DE PEDRA, 12/abril/1972 à 23/janeiro/1973. Um clássico indiscutível da telenovela brasileira!


Uma das melhores produções de todos os tempos. Escrita por Janete Clair, "Selva de Pedra" se tornou um marco na história de televisão brasileira. Com 243 capítulos, a trama bateu recordes de audiência, chegando aos 100 pontos no capítulo de maior clímax da novela, que foi quando Simone Marques (Regina Duarte), sofre um acidente e passa a acreditar no envolvimento do marido na tragédia. Por isso, se refugia em Paris, com o pseudônimo de Rosana Reis.


Em determinado momento, ela retorna ao Brasil para se vingar, e acaba sendo desmascarada! Destaque para a atuação de Dina Sfat como a transtornada Fernanda, que acaba ficando louca. Devido ao sucesso absoluto nos anos 70, a novela teve 2 reprises. A 1ª em 1975, compactada em 76 capítulos. A 2° foi como atração do "Festival 15 Anos" em 1980, compactada em 1h30.


TRAMA:

Na cidade interiorana de Campos (RJ), Cristiano toca bumbo na praça, obrigado pelo seu pai, pastor evangélico. Humilhado por um "playboy", cristiano vai tomar satisfação com o rapaz, que acaba morrendo acidentalmente na briga. A artista plástica Simone Marques é testemunha do fato e, consciente da inocência de Cristiano,o esconde em sua casa. Por conta do crime, ele se muda para a Guanabara,a antiga capital fluminense, no memo trem em que ela também embarca, em busca de melhores oportunidades profissionais na selva de perda. Lá Cristiano e Simone se apaixonam e se casam.
Ajudado por um falso amigo, Miro, Cristiano inicia sua escalada profissional no estaleiro de su tio, Aristides. Cortejado por Fernanda, uma das acionistas da empresa,Cristiano percebe que Simone é um Obstáculo em sua ascensão e, atiçado por Miro,decide matar sua mulher. Ele se arrepende do plano antes de pô-lo em prática, mas Simone descobre suas artimanhas ao descobrir uma carta em que Miro incita o marido a matá-la, Simone foge de carro e, perseguida pelo bandido, numa fuga descontrolada, acaba capotando na estrada Rio - Petrópolis depois do grave acidente e é dada como morta.Cristiano fica livre para se casar com Fernanda, mas a abandona no altar, perturbado com o remorso pelo fim de Simone, que reaparece com a identidade de sua irmã, Rosana Reis.
Herdeiro do estaleiro, por vontade expressa no testamento de seu tio Aristides,Cristiano passa a ter em Fernanda sua maior inimiga. Ele luta manter a saúde financeira da empresa enquanto tenta desvendar a verdadeira identidade de Simone e prova na justiça sua inocência na morte do "playboy"de Campos. Fernanda,que teve acentuado seu desequilíbrio mental com o abandono no altar, persegue Cristiano na empresa e seqüestra Simone até a reconciliação do casal e o final feliz. Na noite de 23 de janeiro de 1973, o Ibope registrou 100% de audiência na Rede Globo. Tudo isso para ver a personagem Rosana Reis (Regina Duarte) ser desmascarada no capítulo 152 da novela Selva de Pedra.

 

Foi um dos maiores sucessos da Rede Globo nos anos 70. Sua audiência chegou a 100 pontos no capitulo 152 quando Simone, interpretada por Regina Duarte, é desmascarada.

A canção Rock and Roll Lullaby (tema de Simone e Cristiano), de B.J. Thomas, foi um grande sucesso. No remake da novela em 1986, a canção também teve uma nova versão e, novamente, foi um sucesso.

Luís Melo iria fazer o mesmo personagem na versão de Selva de Pedra de 1986.

Foi reapresentada em duas ocasiões. A Primeira, compactada em 75 capítulos, foi ao ar entre 1975 e 1976, no lugar da então censurada Roque Santeiro. No tempo em que Selva de Pedra estava sendo reprisada, a Rede Globo encomendou uma trama à Janete Clair, que escreveu Pecado Capital, um de seus maiores sucessos. A segunda reprise se deu em 1980, como atração do Festival 15 anos, compactada em 1h30, apresentada por Francisco Cuoco.

Até hoje, nenhuma novela conseguiu marcar 100 pontos além de Selva de Pedra e de Roque Santeiro.



A novela marcou a estréia na televisão de Glória Pires,atriz viveu na trama Fatima,criança que morava na pensão Palácio,onde hospedava o casal Cristiano e Simone. Para gravar e editar os 243 capítulos de Selva de Pedra, a Rede Globo usou cerca de 400 fitas de vídeo-tape,de uma hora cada. As fitas foram reaproveitadas,mas a emissora guarda em seu acervo o compacto de 76 capítulos exibido entre 27 de agosto e 22 de novembro de 1975, ás 20:00hs.


Sônia Braga ainda não era uma unanimidade nacional, mas conseguiu projeção em Selva de Pedra no Papel da traumatizada Flávia, a filha que ver a mãe Valquíria,assassinar o amante depois do ocorrido Flávia perde a fala.


Selva de Pedra foi a primeira novela da TV Brasileira abordar a doença, na ficção,através do personagem Caio, a abordagem popularizou a Associação dos hemofílicos do Brasil. A mensagem passada pela autora era a de que um hemofílico era um ser totalmente normal e,com isso,deveria ser aceito na sociedade.


Grande Janet!! Regina Duarte disse... "Selva de Pedra foi umas das faces da realidade brasileira e não uma história de reis e rainhas", entrevista ao jornal Folha de São Paulo. Trinta e quatro anos depois, as lembranças da atriz são as melhores."É impossível diagnosticar o que leva uma novela a se tornar um grande sucesso.Selva de Pedra tinha uma trama excelente,uma direção firme e um elenco talentoso e carismático.Mas isso outra novelas que não tiveram tanto êxito também possuíam.Certos fenômenos não se explicam,não existe uma receita. Se assim fosse,só faríamos sucessos retumbantes", pondera Regina Duarte.





BASTIDORES:

O carro sai da estrada, rola no barranco e explode. Sirenas, polícia, rodoviária gente se oferecendo para ajudar. É a cena mais ousada e difícil jamais filmada na televisão brasileira.

Quinta feira 10 horas da manhã. No Km 35, da estrada Rio-Petrópolis, tudo é tranqüilo. De repente , uma Kombi da Rede Globo de televisão, estaciona, seguida por um cortejo de ônibus e carros de externa. Depois chega uma ambulância da Santa Casa de Misericórdia, uma equipe de médicos, um carro de polícia rodoviária, O Dodge Dart amarelo de Regina Duarte e um caminhão transportando um Volks 65, de cor azul-celeste. Em pouco tempo, o local se enche de curiosos e perguntas e perguntas, enquanto artistas e técnicos jogam bola, descansam sobre a grama ou tomam cafezinhos do Belvederi, à espera do início da gravação de mais um capitulo da novela “Selva de Pedra”: o desastre com o fusca de Simone, que mobilizou toda a equipe de produção. É a primeira vez que a televisão brasileira faz um carro explodir.

Marcada para a parte da manhã, os preparativos estenderam a gravação até o fim da tarde, quando a produção mandam que todos desçam mais de 200 metros na estrada, junto a um barranco de dois metros de altura. Duas câmaras são colocadas debaixo do barranco, montadas em dois caminhões. Vereza, que vai gravar uma cena, dirigi-se para um dos ônibus afim de trocar de roupa e o resto da equipe se senta no meio-fio. Enquanto isso os técnicos trabalham concentradamente, sob a direção de Walter Avancini.

A 200 metros dali, a polícia rodoviária impede o trânsito para que se inicie a primeira tomada: a queda do fusca azul, onde estão Simone (Regina Duarte) e Lena, sua nova empregada (a atriz Tâmara Taxman que pela primeira vez trabalha na Globo).

PREPARANDO A MORTE – O fusca é colocado sobre tábuas, na direção do barranco. Tudo pronto; câmeras ligadas, caminhões de externas funcionando, fotógrafos de olhos fixos nas maquinas e olhares assustados das cem pessoas que cercam o local. “Vamos começar a gravação”, diz Avancini.

O carro de socorro empurra o Volks, mais ele só vai até a metade do barranco. A cena deverá ser repetida. O reboque se prepara para trazê-lo novamente para a estrada. Gonçalves e Celinho- assistentes de produção- vão até o meio do barranco e ajudam amarrá-lo para a subida. Tudo deve ser perfeito para que a gravação não seja transferida para outro dia. As pessoas ficam em silên cio preocupadas com os dois assistentes que operam junto do carro, no barranco. Depois com muito esforço, parte do trabalho é realizada. Já quase em cima do morro, um dos pneus sai do lugar. Vereza e Avancini tentam colocá-lo novamente no sobre as tábuas. Segurando um cano de ferro, molhado de suor, Vereza se esforça para apoiá-lo. Quando tudo já está quase pronto, uma das tábuas se quebra e é preciso consertar a posição do automóvel. Durante todo esse tempo, Avancini avisa às pessoas que se afastem do local. Finalmente o carro é colocado sobre as tábuas. Todo mundo aplaude e respira de alívio.

NA DIREÇÃO DO ABISMO – As câmeras são ligadas de novo, os caminhões voltam aos seu postos e está tudo pronto para a repetição da cena. “vamos começar a gravar”, grita Avancini. O carro é empurrado- não pelo socorro, que falhou da primeira vez, mas por Salvador, motorista de um dos caminhões da Globo. Não podia sair melhor: O fusca sai da estrada, dá várias cambalhotas e cai no barranco, com uma das portas abertas.
- O que aconteceu? Precisam de ajuda? A essa altura, há pelo menos umas duzentas pessoas no local, embora a policia federal já tenha liberado o transito para o intervalo antes da gravação da segunda cena: a explosão.

Francisco Cuoco, que assistiu à primeira mostra-se calmo, apesar da expectativa. Vereza Sorri, satisfeito com o sucesso de seu trabalho e Avancini já se prepara para o resto. As perguntas continuam insistentes:
- Precisam de transportes para as vitimas? Estou com o carro aqui...
Na confusão a fantasia se mistura com a realidade e, tomado de nervosismo, Toninho, um dos responsáveis pelo guarda-roupa, acaba se ferindo, quando vai apanha o paletó de Vereza dentro do ônibus: fica pendurado na janela pelo anel e machuca a mão direita.

FUMAÇAS E PERGUNTAS – Os preparativos recomeçam. Dois homens testam os extintores que deveram ser utilizados para apagar o fogo depois da explosão. A gasolina é espalhada sobre o carro. Avancini entra no caminhão da externa, senta na mesa de corte e com dois fones de intercomunicação no ouvido, chama todos os carros para a gravação:
- Alô, alô carro 1. Atenção
- Alô, alô carro 2. Atenção
O fusca azul-celeste entra em chamas, que vão crescendo, ficando cada vez maiores, até chegar à explosão, num grande estrondo. O fogo continua, sobe, levando a fumaça até quase ás nuvens. No carro de externa , as cenas se reproduzem: visto pelo vídeo , o incêdio é perfeito. Lá fora, as pessoas continuam se agitando, atraídas pelo movimento.
De repente, aparece um táxi. Freia bruscamente e dele salta vereza, correndo.
Gritando palavras assustadas, vai até o meio do barranco e volta-se para o ator que contracena com ele, o motorista de táxi:
- Que é isso, cara? (Corte).
Uma hora depois, o local estava novamente tranqüilo. Simone morreu? Foi acidente ou suicídio? As perguntas ficaram na fumaça e só serão respondidas na próxima semana, quando o capítulo for para o ar.

















































Personagens:

CRISTIANO VILHENA (Francisco Cuoco) – Jovem ambicioso do interior, filho de Sebastião (Mário Lago) e Berenice (Ana Ariel), e irmão de Diva (Dorinha Duval) e Zelinha (Tessy Callado).


SIMONE / ROSANA REIS (Regina Duarte) – filha de Chico (Arnaldo Weiss) e esposa de Cristiano (Francisco Cuoco). Sofre um atentado planejado por Miro (Carlos Verez), amigo de seu marido, finge ter morrido e deixa o Brasil. Volta ao país como uma consagrada artista plástica, sob a falsa identidade de Rosana Reis. Termina a novela com Cristiano, depois de sofrer com as ameaças de Fernanda (Dina Sfat), ex-noiva dele.

FERNANDA (Dina Sfat) – Acionista do estaleiro Celmu e noiva de Caio (Carlos Eduardo Dolabella). No decorrer da novela, envolve-se com Cristiano (Francisco Cuoco), mas, ao ser abandonada no altar, passa a alimentar um amor doentio por ele.

MIRO (Carlos Vereza) – um mau-caráter que se aproxima de Cristiano (Francisco Cuoco) na intenção de ascender socialmente, mesmo que por meios escusos. É o autor do atentado contra Simone (Regina Duarte).


CAIO (Carlos Eduardo Dolabella) – Filho de Aristides (Gilberto Martinho) e noivo de Fernanda (Dina Sfat), até que ela se envolva com Cristiano (Francisco Cuoco), seu primo.

ARISTIDES (Gilberto Martinho) – Pai de Caio (Carlos Eduardo Dolabella) e tio de Cristiano (Francisco Cuoco), presidente do estaleiro Celmu.

LAURA (Arlete Salles) – Mulher fútil, interessada em luxo e riqueza, e que está sempre atrás de namoros com velhos ricos. Casa-se com Aristides (Gilberto Marinho). Apaixona-se pelo motorista, Oswaldo (Kadu Moliterno).

SEBASTIÃO (Mário Lago) – Marido de Berenice (Ana Ariel), pai de Cristiano (Francisco Cuoco), Diva (Dorinha Duval) e Zelinha (Tessy Callado) e irmão de Aristides (Gilberto Martinho). Abriu mão de sua herança para viver como beato.

BERENICE (Ana Ariel) – Mulher de Sebastião (Mário Lago) e mãe de Cristiano (Francisco Cuoco), Diva (Dorinha Duval) e Zelinha (Tessy Callado).

DIVA (Dorinha Duval) – filha de Sebastião (Mário Lago) e Berenice (Ana Ariel) e irmã de Cristiano (Francisco Cuoco) e Zelinha (Tessy Callado).

ZELINHA (Tessy Callado) – filha de Sebastião (Mário Lago) e Berenice (Ana Ariel) e irmã de Cristiano (Francisco Cuoco) e Diva (Dorinha Duval).

WALQUÍRIA (Neuza Amaral) – Mãe de Flávia (Sônia Braga) e amante de Sérgio (Eliano de Souza).

FLÁVIA (Sônia Braga) – Filha de Walkíria (Neuza Amaral).

FRANCISCO / CHICO (Arnaldo Weiss) – Pai de Simone (Regina Duarte).

SÉRGIO (Eliano de Souza) – Amante de Walkíria (Neuza Amaral).

NEVES (Francisco Dantas) – Pai do rapaz morto durante briga com Cristiano (Francisco Cuoco).

FÁTIMA (Glória Pires) – Criança que mora na pensão de Fany (Heloísa Helena).

FANY (Heloísa Helena) – Dona da pensão onde Simone (Regina Duarte) e Cristiano (Francisco Cuoco) se hospedam.

HELOISE KATZUKI (Ida Gomes) – Dona da galeria de arte onde Simone (Regina Duarte) expõe seus quadros.

OSWALDO (Kadu Moliterno) – Jovem motorista de Laura (Arlete Salles), com quem tem um caso.

MARIA AMÉLIA (Lícia Magna) – Mãe de Fernanda (Dina Sfat).

MADALENA (Tamara Taxman) – Empregada de Simone (Regina Duarte).

ELENCO:

REGINA DUARTE - Simone Marques / Rosana Reis
FRANCISCO CUOCO - Cristiano Vilhena
DINA SFAT - Fernanda
CARLOS VEREZA - Miro
CARLOS EDUARDO DOLABELLA - Caio
MÁRIO LAGO - Sebastião
ANA ARIEL - Berenice
DORINHA DUVAL - Diva
HELOÍSA HELENA - Fanny
EDNEY GIOVENAZZI - Jorge Moreno
ÁLVARO AGUIAR - Mestre Pedro
ARNALDO WEISS - Chico
CÉLIA COUTINHO - Cíntia
EMILIANO QUEIRÓZ - Marcelo
ARLETE SALLES - Laura
GILBERTO MARTINHO - Aristides Vilhena
LÍDIA MATTOS - Viví
NEUZA AMARAL - Walkíria
SÔNIA BRAGA - Flávia
JOÃO PAULO ADOUR - Guido
ÂNGELA LEAL - Joana / Jane
HILDEGARD ANGEL - Beatriz
ROGÉRIO FRÓES - Roger Martin
IDA GOMES - Madame Heloise Katzuki
MARIA CLÁUDIA - Kátia
TESSY CALLADO - Zelinha
AGNES FONTOURA - Irene
ANTÔNIO GANZAROLLI - Pipoca
JOSÉ STEIMBERG - Isaac
GERMANO FILHO - Abud
GLÓRIA PIRES - Fátima
SUZANA FAINI - Olga
LOUISE MACEDO - Clarisse
FRANCISCO DANTAS - Neves
JUREMA PENNA - Sofia
ROBERTO BOMFIM - Zé
FRANCISCO MILANI - Hélio Sales
LÍCIA MAGNA - Dona Maria Amélia
LÉA GARCIA - Elza
SÉRGIO FONTA - Tonico
FRANCISCO SILVA - Vitório
ROGÉRIO PITANGA - Ticoe
JORGE CALDAS - Gastão
ELIANO DE SOUZA - Sérgio
TAMARA TAXMAN - Lena
URBANO LÓES - Dr. Feliciano D'Avila (advogado de Cristiano)
ISAAC BARDAVID - promotor
ANTÔNIO PATIÑO - juiz
TONY FERREIRA - Delegado Lima
FERNANDO VILLAR - Poli (novo marido de Laura)
ANTÔNIO VICTOR - Bartolomeu (novo marido de Laura)
IVAN CÂNDIDO - Pápi (novo marido de Laura)
KADU MOLITERNO - Oswaldo (marido de Laura no último capítulo)
DENISE EMMER - Monique (filha de Madame Katzuki)
BUZA FERRAZ - Juca (namorado de Monique)
LABANCA - Pérez (ex-empresário de Fanny)
ADRIANO LISBOA - Horácio
ALDO DELANO - Padre Jaime
SAMANTHA RAINBOW - Lúcia Rangel
WALTER MATTESCO - Almeida
MYRIAN TEREZA - Jandira
LOURDINHA BITTENCOURT - Nina
SÔNIA CLARA - Sônia
ANGELITO MELLO - Sampaio
MARCUS TOLEDO - Carlos
LUÍS MAGNELLI - Valdo (motorista de Vivi)
TERCILIANO JÚNIOR - motorista de Cristiano
SUZY ARRUDA - enfermeira de Simone
FÁBIO MASSIMO - Mirinho
VINÍCIUS SALVATORI - Antonius
MARY DANIEL - Dona Otávia
JUAN DANIEL - Pepito
MIGUEL CARRANO - Dr. Felipe
LUIZ ARMANDO QUEIROZ - Beto
FERNANDA SIMÔES - Dona Paulina
ILKA PINHEIRO - Mariana
ANA MARIA SAGRES - Corina
JOÃO VIEITAS - Jurandir
MIGUEL ROSENBERG - Arnaldo
JAYME SALDANHA - Cunha
IVAN DE ALMEIDA
GERVÁSIO MORGADO
WÁLTER PRADO
NEWTON MARTINS
SILVINHA PINHEIRO

TRILHA SONORA NACIONAL:

Marcos & Paulo Sérgio Valle produziram e compuseram os temas nacionais de 1972. Rock and Roll Lullaby, de B.J. Thomas, foi tema de Simone e Cristiano nas duas versões.

1.Capitão de Indústria - Djalma Dias (tema de Aristides)
2.Mandato - Osmar Milito e Quarteto Forma (tema de Simone e Cristiano)
3.Simone - Ângela Valle e Eustáquio Sena (tema de Simone)
4.Corpo Sano em Mente Sã - Osmar Milito e Quarteto Forma (tema de Fernanda)
5.Selva de Pedra - Orquestra e Coral Som Livre (tema de abertura)
6.Rhythmetron Op. 27 - Marlos Nobre
7.O Beato - Marcos Valle (tema de Sebastião)
8.Ligação - Orquestra e Coral Som Livre (tema de Diva)
9.América Latina - Osmar Milito e Quarteto Forma
10.Corpo Jovem - Luís Roberto (tema de Flávia)
11.Longo de Dior - João Luiz (tema de Laura)
12.Ritual - Marlon Nobre

TRILHA INTERNACIONAL:

1.Rock And Roll Lullaby - B. J. Thomas (tema de Simone e Cristiano)
2.Jesus - Billbox Group (tema de Sebastião)
3.Floy Joy - The Supremes (tema de Rosana Reis)
4.Ain't No Sunshine - Michael Jackson (tema de Fernanda)
5.Son Of My Father - Giorgio
6.A Taste Of Excitement - Carnaby Street Pop Orchestra and Choir (tema de Cristiano)
7.La Question - Françoise Hardy (tema de Flávia)
8.Mary, Blind Mary - Laurent & Mardi Grass (tema de Miro)
9.If You Want More - Free Sound Orchestra (tema de Fernanda)
10.Feel The Need - Damon Shawn (tema de Laura)
11.Let It Ride - Hard Horse (tema de Caio)
12.Frightened Girl - Silent Majority (tema de Fernanda)

DVD SELVA DE PEDRA 1972
Quantidade. de Discos: 6

Região: All

DVD 9 (discos 1 ao 5) e DVD 5 (disco 6)

Vídeo: 4x3 Full screen - preto e branco

Áudio: 2.0 dolby digital

Duração Aprox.: 21h45min

Nenhum comentário:

Postar um comentário