segunda-feira, 22 de março de 2010

NOVELA: VERÃO VERMELHO



VERÃO VERMELHO


Autoria: Dias Gomes
Direção: Marlos Andreucci e Walter Campos
Período de exibição: 17/11/1969 - 17/07/1970
Horário: 22h
Nº de capítulos: 209


TRAMA PRINCIPAL

- Conflito de gerações, preconceito social, infelicidade conjugal, reforma agrária e questões raciais foram alguns dos temas discutidos pelo autor Dias Gomes na novela. A trama, juntamente com Véu de Noiva, de Janete Clair, lançada um mês antes, inaugurava na TV Globo um novo estilo de fazer telenovelas, pautado por gravações em externas e exploração da realidade por meio da abordagem de temáticas nacionais e assuntos do cotidiano. Ambientada na Bahia, Verão Vermelho também destacou a cultura popular local, com suas festas de rua, rodas de capoeira e candomblé, além dos problemas sociais.

- A novela tem início mostrando a péssima relação conjugal de Adriana (Dina Sfat) e Carlos (Jardel Filho). Os dois, oriundos de classes sociais distintas, casaram-se muito novos, sem nem ao menos se conhecerem bem, e vivem em constante conflito. Adriana era pobre, filha de Bruno (Mário Lago), um humilde sapateiro; Carlos, filho da despótica Jandira Serrano (Ida Gomes), já nasceu rico, um dos herdeiros de uma família de latifundiários. Pais de Patrícia (Maria Cláudia), que está completando 15 anos, eles mal disfarçam a infelicidade. É durante a festa de aniversário da menina, no primeiro capítulo da novela, que Adriana reencontra o médico Flávio (Paulo Goulart), por quem Patrícia diz estar apaixonada. O encontro com Flávio deixa Adriana perturbada, e ela começa a lembrar de tudo o que aconteceu em sua vida desde que se casou. Um longo flashback ocupa 12 capítulos da trama, para explicar a relação entre Adriana, Carlos e Flávio, o triângulo amoroso condutor da história.

- Ao casar-se com Carlos, Adriana foi morar no interior da Bahia, onde, aos poucos, descobriu a verdadeira personalidade do marido, um homem rude e dominado pela mãe, Jandira, e pelos valores de sua família. Jandira inferniza a vida da nora, não escondendo seu desagrado com o casamento do filho. Além disso, Adriana é assediada pelo irmão de Carlos, Irineu (Emiliano Queiroz), um homem cínico e sem escrúpulos, que vive rodeado de jagunços. A jovem esposa também é obrigada a suportar a presença de Selma (Arlete Salles), ex-noiva de Carlos, que não deixa de frequentar a casa da família Serrano e vive atrás do ex-noivo. Abalada, Adriana decide retornar para a casa do pai em Salvador que, no entanto, a aconselha a voltar para o marido, principalmente porque está grávida. Na longa viagem de trem de volta ao interior, Adriana conhece Flávio, e os dois se aproximam, descobrindo afinidades. Mas como está disposta a investir em seu casamento, Adriana pede a Flávio para não procurá-la. O jovem médico, porém, passa a atender na região onde vive Adriana. Os dois acabam se encontrando por acaso e são obrigados a refrear seus sentimentos.

- Paralelamente, a novela aborda o conflito entre os Serranos e a família Morais por causa de uma disputa de terras. Jandira Serrano ordena o massacre dos Morais, que se recusam a deixar sua fazenda. O único sobrevivente é Raul, um menino de dez anos, que se escondera durante a carnificina. Irineu, que comandou o massacre, é ferido no conflito, e Flávio, a princípio, recusa-se a atendê-lo. O médico passa a ser procurado pelos jagunços dos Serranos, que têm a missão de dar-lhe uma lição. Adriana, na ausência de Carlos, esconde Flávio em sua casa por uma noite, para que ele fuja no dia seguinte. Ao descobrir, por meio de Selma, que a esposa escondeu o fugitivo, Carlos leva a filha para viver com Jandira e dá uma surra de chicote em Adriana. Algum tempo depois, ele decide se mudar para Salvador com a mulher e a filha.

- A novela volta novamente ao final da década de 1960 e início de 1970, época em que se passa a trama. A jovem Patrícia suspira por Flávio, o que deixa Adriana muito perturbada, já que o médico foi o único homem que amou de verdade. Flávio não quer nada com a jovem: ele é apaixonado por Adriana, que tenta afastá-lo da filha. Mas Carlos, ignorando que aquele homem é o médico que enfrentou o poder de sua família e se recusou a atender seu irmão (ele não chegou a conhecer Flávio no passado), simpatiza com o cardiologista. A essa altura, embora ainda casados, Carlos e Adriana são frios e distantes um com o outro, e ele se tornou amante de Selma.

- A vida de Flávio também está atrelada à do jovem Raul (Carlos Vereza), o sobrevivente da chacina da família Morais. Agora com 25 anos, Raul quer reabrir o processo contra Irineu pela morte de seus familiares, e está à procura de Flávio, a única testemunha do massacre. Raul está foragido da prisão, onde fora encarcerado por tentar matar Irineu, e passa a perseguir não só o assassino mas a todos da família Serrano, jurando vingança. Flávio, no entanto, é reconhecido por Irineu, que quer acabar com sua vida. O médico passa a ser perseguido pelos Serranos e, após ser novamente preterido por Adriana, viaja para a Europa.

- Mais tarde na trama, Patrícia se apaixona por Raul, que acaba virando um líder camponês, com embates constantes com seu pai. Adriana e Carlos, por sua vez, se desquitam, o que era considerado um tabu na época.

TRAMAS PARALELAS

Geralda

Filha de Clementina (Ruth de Souza) e Simão (Urbano Lóes), empregados de Adriana (Dina Sfat) e Carlos (Jardel Filho), Geralda (Lúcia Alves) é uma jovem interessada em ascender de classe. Ela namora em segredo o jovem advogado Eduardo (João Paulo Adour) e, a princípio, esconde dele sua origem. Depois, não quer que o namorado e a família dele saibam que sua mãe é negra.


GALERIA DE PERSONAGENS


ADRIANA (Dina Sfat) – Mulher da cidade, cujo casamento precipitado com Carlos (Jardel Filho) mudou sua vida, frustrando sonhos e ideais. Mãe de Patrícia (Maria Cláudia), sente-se perdida em um ambiente que não é o seu. Apaixonada em segredo por Flávio (Paulo Goulart).

CARLOS SERRANO (Jardel Filho) – Marido de Adriana (Dina Sfat) e pai de Patrícia (Maria Cláudia), um latifundiário. Homem rude e fraco, que não resiste à pressão da família contra sua esposa.

FLÁVIO (Paulo Goulart) – Cardiologista íntegro e corajoso, apaixonado por Adriana (Dina Sfat). Quando jovem, deixou o Rio de Janeiro e fugiu para a Bahia após ser acusado de charlatanismo.

JANDIRA SERRANO (Ida Gomes) - Mãe de Carlos (Jardel Filho) e Irineu (Emiliano Queiroz), fazendeira maldosa, despótica e manipuladora.

IRINEU SERRANO (Emiliano Queiroz) – Filho de Jandira (Ida Gomes) e irmão de Carlos (Jardel Filho), é cínico e sem escrúpulos, e vive assediando a cunhada, Adriana (Dina Sfat).

PATRÍCIA SERRANO (Maria Cláudia) – Filha adolescente de Adriana (Dina Sfat) e Carlos (Jardel Filho), apaixona-se por Flávio (Paulo Goulart).

SELMA DOURADO (Arlete Salles) – Ex-noiva de Carlos (Jardel Filho), não se conforma de ter sido preterida por Adriana (Dina Sfat) e arma ciladas contra ela.

RAUL MORAIS (Carlos Vereza) – Líder camponês que se apaixona por Patrícia (Maria Cláudia) e tem embates com o latifundiário Carlos (Jardel Filho), pai da moça. O casal fica junto no final.

BRUNO / NONÔ (Mário Lago) – Sapateiro humilde, pai de Adriana (Dina Sfat) e avô de Patrícia (Maria Cláudia).

SIMÃO (Urbano Lóes) – Marido de Clementina (Ruth de Souza), pai de Geralda (Lúcia Alves). Empregado na casa de Carlos (Jardel Filho) e Adriana (Dina Sfat).

CLEMENTINA (Ruth de Souza) – Mulher de Simão (Urbano Lóes), mãe de Geralda (Lúcia Alves). Empregada na casa de Carlos (Jardel Filho) e Adriana (Dina Sfat). Sofre com o preconceito racial, inclusive por parte da própria filha, que tenta esconder sua ascendência negra.

GERALDA (Lúcia Alves) – Filha de Simão (Urbano Lóes) e Clementina (Ruth de Souza), tem vergonha da mãe por ela ser negra. Envolve-se com Eduardo (João Paulo Adour).

EDUARDO (João Paulo Adour) – Filho do juiz (Ary Fontoura) e de Eufrosina (Heloísa Helena). Jovem recém-formado em Direito, apaixonado por Geralda (Lúcia Alves).

JUIZ (Ary Fontoura) – Marido de Eufrosina (Heloísa Helena), pai de Eduardo (João Paulo Adour). O filho se apaixona por Geralda (Lúcia Alves), filha da negra Clementina (Ruth de Souza), levantando na trama a discussão sobre o preconceito racial.

EUFROSINA (Heloísa Helena) – Mulher do Juiz (Ary Fontoura), mãe de Eduardo (João Paulo Adour).

HUMBERTO (Osmar Prado) – O jovem Bebeto é apaixonado por Patrícia (Maria Cláudia), que rompe o namoro com ele ao se apaixonar por Flávio (Paulo Goulart).

ZÉ COIÓ (Roberto Ferreira) - Vendedor de abecês, personagem exótico de Salvador. Aparece sempre para Adriana (Dina Sfat), insinuando saber tudo sobre sua vida. Espécie de personagem profético.

SALIM (Lajar Muzuris) – Comerciante.

TERESA (Maria Pompeu) – Mãe de Flávio (Paulo Goulart).

DR. JOSIAS (Paulo Araújo) – Médico, sobrinho do diretor do hospital. Falso e metido a conquistador. Finge ser amigo de Flávio (Paulo Goulart).

E MAIS:

Ana Ariel – Rosa

Aldo de Maio

Beatriz Veiga

Dorinha Duval

Maria Francisca

Jurema Penna - Zora

Lícia Magna - Cota

Maria Pompeu - Beatriz

Paulo Padilha - Frei Antônio

Paulo Araújo - Josias

Suzana de Moraes - Madalena

Zeni Pereira


PRODUÇÃO

- Em reportagem do jornal O Globo publicada em 15 de novembro de 1969, dois dias antes da estreia da novela, os diretores afirmavam que tinham como intenção viajar mensalmente à Bahia com o objetivo de realizar novas gravações, para que a equipe não perdesse o contato com os costumes regionais explorados na trama.

FIGURINO E CARACTERIZAÇÃO

- Assim como Véu de Noiva (1969), de Janete Clair, a novela de Dias Gomes inovou ao mostrar personagens caracterizados de acordo com o que se via nas ruas na época, isto é, vestindo roupas e acessórios modernos. A escolha do figurino era mais uma maneira de aproximar a trama da realidade do público.

CENOGRAFIA E PRODUÇÃO DE ARTE

- Verão Vermelho contou com gravações em Salvador, na Bahia, mostrando as ruas da cidade e locais como a igreja de São Francisco, a igreja do Senhor do Bonfim, o Farol da Barra, as praias de Itapuã e Pituba, e o iate clube da Bahia – onde foi gravada a festa de 15 anos de Patrícia (Maria Cláudia), que ilustra o primeiro capítulo da novela. Também foram feitas cenas em algumas fazendas do interior, e durante os festejos de Santa Bárbara, em 4 de dezembro. O autor Dias Gomes estava presente em muitas dessas gravações.

CURIOSIDADES

- Verão Vermelho foi a primeira novela assinada por Dias Gomes com seu nome verdadeiro. Antes dessa, ele havia escrito A Ponte dos Suspiros (1969) – adaptação do romance homônimo de Michel Zevaco – com o pseudônimo de Stela Calderón.

- Verão Vermelho marcou a estreia de Dina Sfat na TV Globo. A atriz tinha feito muito sucesso com o filme Macunaíma (1969), de Joaquim Pedro de Andrade. Ela estava grávida da sua primeira filha, Bel Kutner, com o ator Paulo José. Na novela, a personagem também engravidou. Na vida real, Bel Kutner nasceu dois dias depois que Dina Sfat deu à luz na novela.

- Dias Gomes e Janete Clair, marido e mulher, inovaram ao cruzar a trajetória de personagens de duas novelas diferentes exibidas à mesma época. Flor (Myriam Pérsia), de Véu de Noiva, de autoria de Janete Clair, ao procurar um tratamento para engravidar, foi se consultar com o médico Flávio (Paulo Goulart), de Verão Vermelho (1969), escrita por Dias Gomes. A sequência foi gravada duas vezes, uma para cada novela.

- Arlete Salles conta que, na gravação de sua primeira cena na Bahia, realizada em um saveiro, ela caiu no mar e teve de ser resgatada por Jardel Filho. A atriz não sabe nadar.

- Urbano Lóes, intérprete do personagem Simão, é pai da atriz Dilma Lóes e avô da atriz Vanessa Lóes. Urbano também era escritor.

- A novela abordou o desquite por meio dos personagens Adriana (Dina Sfat) e Carlos (Jardel Filho), atitude polêmica à época, vista com preconceito e muitas ressalvas. O divórcio só foi instituído legalmente no Brasil em 1977.

TRILHA SONORA

- Nelson Motta foi o produtor musical responsável pela trilha sonora de Verão Vermelho. A música de abertura tinha o mesmo título da trama e foi gravada por Elis Regina. A trilha continha oito músicas diferentes e quatro variações de temas.

Verão Vermelho – Tema de abertura
Compositor: Nonato Buzar
Intérprete: Elis Regina


Vitória, Vitória – Tema de Raul
Compositores: Nonato Buzar
Intérprete: Nonato Buzar


Ela – Tema de Patrícia
Compositores: Tibério Gaspar/ Antônio Adolfo
Intérprete: Regininha




Jornada – Tema de Selma
Compositor: Roberto Meneses
Intérprete: Wilson das Neves


Onde Você Mora? – Tema de Flávio
Compositores: Edmundo Souto/ Paulinho Tapajós
Intérprete:


Baião do Sol – Tema de Geralda
Compositores: Nelson Angelo
Intérprete: Nelson Angelo


The Time Of Moon – Tema romântico
Compositores: A. Kerr
Intérprete: Erlon Chaves

Ela
Compositores: Tibério Gaspar/ Antônio Adolfo
Intérprete: Regininha

Vitória, Vitória-
Compositores: Nonato Buzar
Intérprete: Erlon Chaves


Assim é a Bahia
Compositores: Roberto Menescal/ Ronaldo Bôscoli
Intérprete: Roberto Menescal


Onde Você Mora?
Compositores: Edmundo Souto/ Paulinho Tapajós
Intérprete: Ruy Felipe


Verão Vermelho
Compositores: Nonato Buzar
Intérprete: Luiz Eça





 Primeira telenovela produzida pela emissora especificamente para o horário das dez, com Dias Gomes assinando seu nome, sem pseudônimo, e que tinha a Bahia como cenário. Foi um grande sucesso, com um elenco contagiante. vamos resgatar? A história tem início na festa de 15 anos de Patrícia (Maria Claudia) no Iate Clube, em Salvador. Seus pais, Adriana (Dina Sfat) e Carlos (Jardel Filho), haviam se casado muito cedo, estavam infelizes e pensavam em se separar. Mas não decidiam nada, até surgir outro homem, Dr. Flávio (Paulo Goulart).

O jovem e abnegado médico Flávio desperta a paixão em duas mulheres: mãe e filha; Carlos (Jardel Filho),homem rude, traído pela esposa e desprezado pela filha; Adriana Serrano (Dina Sfat), um casamento precipitado, um amor proibido e uma vida cheia de sofrimentos; Selma (Arlete Salles), a grande rival, em luta titânica pela reconquista do amor perdido de Carlos; Patrícia (Maria Claudia), a maior vítima dos problemas paternos. Esses personagens criados pelo o saudoso Dias Gomes, movimentaram a cidade de Salvador na Bahia, com suas crenças e Orixás.

Verão Vermelho foi importante para a teledramaturgia no Brasil, porque implicava no avanço para o bom-gosto do gênero novela verdade, sem nada perder em dramaticidade Verão Vermelho conseguiu fugir aos personagens supostamente aristocráticos, aos condes e marquesas, eliminando assim o superado recurso de novelas de época. Com um elenco inteiramente renovado e composto de artista famoso contribuiu para o êxito do lançamento na ocasião.
No papel de Adriana Serrano, a saudosa, Dina Sfat exibiu durante a novela talento e inteligência. Paulo Goulart, galã do teatro e cinema interpretava com maestria o Dr. Flávio. Outro grande nome foi o galã Jardel Filho, que impressionou o público na novela como o rude Carlos. A revelação em graça e beleza é da atriz Maria Claudia que fez o papel de Partícia, filha de Carlos e Adriana. Também contou com a gloriosa Arlete Salles que fez a antagonista Selma com toda a sua classe.


A Central Globo de Produções fez um grande investimento técnico e financeiro para a obtenção de um grande sucesso como foi a novela, toda uma equipe deslocou-se para a Bahia, onde foram filmadas cenas da novela com vários atores e figurantes do local que fizeram parte do espetáculo. O candomblé, a capoeira, os saveiros, as praias e ladeiras históricas, o corsário colonial, o Iate Clube da Bahia, o cento histórico enfim tudo de belo e original da Bahia em uma superprodução. A trilha sonora constituiu um capitulo destacado e merecedor de grandes compositores da música popular brasileira.


ELENCO

JARDEL FILHO - Carlos
DINA SFAT - Adriana Serrano
PAULO GOULART - Flávio
MARIA CLÁUDIA - Patrícia
MÁRIO LAGO - Bruno (Nonô)
ARLETE SALLES - Selma
ARY FONTOURA
HELOÍSA HELENA
CARLOS VEREZA - Raul
OSMAR PRADO - Bebeto
EMILIANO QUEIRÓZ - Irineu
IDA GOMES - Jandira
LAJAR MUZURIS - Salim
RUTH DE SOUZA - Clementina
PAULO PADILHA - Padre Antônio
JOÃO PAULO ADOUR - Eduardo
LÚCIA ALVES - Geralda
PAULO ARAÚJO - Josias
ANA ARIEL - Rosa
LÍCIA MAGNA - Cota
MARIA POMPEO - Teresa
JUREMA PENNA - Zora
SUZANA DE MORAES - Madalena
PAULO GONÇALVES
URBANO LÓES
NELSON CARUSO

CURIOSIDADES:

Era época de renovação na Globo e Dias Gomes revolucionou o folhetim brincando com temas sérios e atuais em 1970, como conflitos entre gerações e reforma agrária. Tudo discutido a partir do desquite dos personagens de Jardel Filho e Dina Sfat

A atriz Dina Sfat vinha de seu sucesso como a guerrilheira Ci no filme Macunaíma (1969), de Joaquim Pedro de Andrade. A publicidade de lançamento de Verão Vermelho dizia: "Com Dina Sfat, a estrela de Macunaíma".

Na época, a atração do horário das oito era Véu de Noiva, escrita pela esposa de Dias, Janete Clair. Os dois combinaram entre si que personagens das duas novelas se encontrariam. Flor, personagem de Myriam Pérsia em Véu de Noiva, que estava grávida, foi se consultar com o médico Flávio, vivido por Paulo Goulart em Verão Vermelho, e os atores apareceram nas duas novelas, caso único até hoje.

A telenovela marcou a estréia da até então apresentadora de telejornais Maria Cláudia na teledramaturgia da emissora.

A abertura mostrava cenas de Salvador com o tema homônimo ao fundo orquestrado por Luiz Eça e cantada pela a grande voz de Elis Regina. A trilha foi, lançada pela PHILIPS que também lançou "Véu de Noiva" ,'Irmãos Coragem ","Pigmalião 70" e "Assim na terra como no céu".

O vilão Raul (Carlos Vereza), "um dos seus primeiros bandidos interpretado pelo ator", que fazia par romântico com Patrícia (Maria Cláudia ).Tinha ainda uma aparição fantástica de uma pessoa que assustava muito... a cena em que Geralda (Lúcia Alves ) era violentada, marcou pelo ipacto causado na época pelo telespctador.


Nenhum comentário:

Postar um comentário