quinta-feira, 30 de setembro de 2010

NOVELA: O REBU (1974/75)

Autoria: Bráulio Pedroso
Supervisão: Daniel Filho
Direção: Walter Avancini e Jardel Mello
Período de exibição: 04/11/1974 – 11/04/1975
Horário: 22h00
Nº de capítulos: 112


Novela de Bráulio Pedroso, O Rebu representou uma ousada tentativa de inovação na teledramaturgia brasileira. Em sua mansão no Alto da Boa Vista, no Rio de Janeiro, o banqueiro Conrad Mahler (Ziembinski) organiza uma festa para recepcionar a princesa italiana Olympia Buoncompagni (Marília Branco). Ao amanhecer, os convidados descobrem um cadáver na piscina da mansão, e forma-se então o cenário perfeito para uma história policial.

A grande surpresa estava na estrutura narrativa da novela: todos os seus 112 capítulos transcorriam durante 24 horas, em sequência não-cronológica: a noite da festa e o dia seguinte, com a investigação policial. A ação se dividia entre as investigações da polícia e os acontecimentos ocorridos durante a festa, sobre os quais o telespectador era informado através das cenas em flashback dos personagens. Qualquer um dos 24 convidados e outras pessoas que estiveram na mansão durante a festa eram suspeitos.
 
Outra novidade de O Rebu era que além da identidade do assassino e da razão do crime, questões mais ou menos tradicionais em uma trama policial, o telespectador também não sabia desde o início quem havia sido assassinado. Durante vários capítulos, o cadáver permaneceu na piscina, boiando de bruços. Pelos cabelos curtos da vítima, podia-se presumir que o corpo fosse de um homem, mas mesmo essa certeza deixou de existir depois que uma das cenas em flashback mostrou uma brincadeira acontecida durante a festa: algumas mulheres cortaram os cabelos e vestiram roupas masculinas. Só no meio da novela, através de uma tomada submarina, foi revelado que a vítima havia sido a jovem Sílvia (Bete Mendes).

O próximo passo era desvendar a identidade do assassino, mas isso só foi possível no capítulo final, quando se revelou que o crime fora cometido pelo anfitrião Mahler. Ele matou a jovem por ciúmes dela com Cauê (Buza Ferraz), rapaz que vivia sob sua proteção.


CURIOSIDADES

Teve o título provisório de A Festa

Marcou a estréia na Globo das atrizes: Bete Mendes, Tereza Rachel e Isabel Ribeiro.

A novela foi reapresentada entre 5 de março e 29 de junho de 1984, às 22h15, exibida pela TV Globo Brasília e todos os seguintes estados, em versão compacta de 85 capítulos, de segunda à sexta-feira.

Era a primeira vez que a homossexualidade foi abordada em uma telenovela brasileira através dos personagens dos atores Buza Ferraz e Ziembinski.

A atuação de Ziembinski – em um de seus últimos trabalhos na TV Globo – mereceu elogios da crítica. Um dos destaques da novela era a relação do seu personagem com Boneco, vivido por Lima Duarte. Boneco era um ladrão paulista que havia encontrado o convite para a festa de Mahler durante um assalto e decidiu se passar por um industrial italiano e roubar o banqueiro. Não teve tempo de roubar nada, quando houve o assassinato e ele se tornou um dos suspeitos. Percebendo que se tratava de um farsante, Mahler passava boa parte da novela provocando o ladrão com perguntas sobre negócios e se divertindo com as mentiras que ele era forçado a improvisar para manter o seu disfarce.

Bráulio Pedroso se inspirou no filme Crepúsculo dos Deuses (Sunset Boulevard), dirigido por Billy Wilder em 1950, para criar a trama de O Rebu. Na primeira cena do filme, um cadáver aparece boiando numa piscina e, daí por diante, toda a trama se desenrolava de forma a elucidar o mistério de sua morte. A linguagem da novela – com suas idas e voltas na ordem cronológica – dava ao autor o triplo de trabalho na hora de escrever. Para dar sentido a cenas de flashbacks de informação, flashbacks de personagens e flashbacks de flashbacks, ele tinha que rever os tapes e lembrar como as cenas haviam ido ao ar antes de reescrevê-las.

Arlete Salles, que fez o papel de Lídia, a esposa do milionário Braga (José Lewgoy), lembra que a inovadora estrutura da narrativa de O Rebu exigia dos atores um esforço extra para ajudar a manter a continuidade da novela. Se uma cena era gravada do lado esquerdo do cenário e a seguinte seria feita no lado direito, os atores da primeira cena tinham que se posicionar como figurantes da próxima. Além disso, precisavam passar meses com o mesmo figurino.

Elenco: Ademir Ferreira, Alfredo Marphy (Olegário), Antônio Ganzarolli (Lucas), Arlete Salles (Lídia), Bete Mendes (Sílvia), Buza Ferraz (Cauê), Caio Mourão (Caio), Carlos Verezza (Laio), Cláudio Ayres da Motta (Wilson), Dalmo Perez (Garçom), Edson França (Delegado Xavier), Élcio Romar, Felipe Wagner (David Godoi), Fernanda de Jesus (Betinha), Haroldo de Oliveira (Astorige), Hilton Pontes, Isabel Ribeiro (Glorinha), Isabel Teresa (Ana Lúcia), Ivan Setta (Morel), Jacy de Azevedo, Jacy Nascente (Garçom), Jacira Alves, João Vieitas (Garçom), Jorge Gomes (Rudy), José Lewgoy (Braga), Lazar Muzuris (Finiho), Lima Duarte (Boneco), Maria Cláudia (Helena), Maria Helena Velçasco (Lindona), Marie Claude, Marília Branco (Olympia Compagni), Mauro Mendonça (Álvaro), Reginna Viana (Roberta Menezes), Rodrigo Santiago (Kiko), Ruth de Souza (Lourdes), Sílvia Sangirardi (Mira), Tereza Rachel (Lupe), Wilton Pontes (Dida), Yara Cortes (MAria Angélica - Bubu), Ziembinski (Conrad Mahler).

TRILHA SONORA

A maior parte da trilha sonora da novela é assinada por Raul Seixas e Paulo Coelho, tanto que o LP da mesma também faz parte da discografia oficial do cantor.

O REBU NACIONAL

01."Como Vovó Já Dizia" - Raul Seixas
02."Porque" - Sonia Santos
03."Planos de Papel" - Alcione
04."Catherine" - Orquestra Som Livre
05."Murungando" - Betinho
06."O Rebu" - Orquestra Som Livre
07."Salve a Mocidade" - Elza Soares
08."Um Som Para Laio" - Raul Seixas
09."Se o Rádio Não Toca" - Fábio
10."Água Viva" - Raul Seixas
11."Tema Dançante" - Orquestra Som Livre
12."Vida a Prestação" - Trama
13."Senha" - Orquestra Som Livre
14."Trambique" - Raul Seixas


O REBU INTERNACIONAL

01."Le Premier Pas" - Claude-Michel Schönberg
02."The Bitch Is Back" - Elton John
03."Sweet Was My Rose" - Velvet Glove
04."Working In The Hacienda" - Daniel Santacruz Ensemble
05."Anima Mia" - I Cugini Di Campagna
06."I Wanted You" - Hudson Ford
07."Sticks And Stones" - Moon Williams
08."Make It Easy On Yourself" - Oscar Toney Jr.
09."Party Freaks (Melô da Noturna)" - Miami
10."You Are a Song" - Jim Weatherly
11."Goodbye Is Just Another Word" - Lobo
12."Swanee" - Al Morrison
13."The Trouble With Hello Is Goodbye" - Sérgio Mendes e Brazil '77
14."Bird Of Beauty" - Stevie Wonder


2 comentários:

  1. Tenho muita curiosidade pra ver essa novela, como dificilmente vai ser reexibida, aceito um remake. Mas que fosse com o máximo de fidelidade, diferente de "Saramandaia".

    ResponderExcluir
  2. O "remake" está vindo aí.
    Quanto a ser fiel à versão primeira, aí é outro assunto.

    ResponderExcluir