segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

NOVELA: MARIA MARIA (1978)

Maria, Maria foi uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 18 horas pela Rede Globo em 1978, contou com 125 capítulos. Foi escrita por Manoel Carlos, adaptando o romance Maria Dusá, de Lindolfo Rocha, e dirigida por Herval Rossano.


Globo - 18h
de 30 de janeiro a 24 de junho de 1978
119 capítulos
novela de Manoel Carlos
baseada no romance Maria Dusá de Lindolfo Rocha
direção de Herval Rossano

SINOPSE

Em suas andanças pelo castigado sertão brasileiro, o tropeiro Ricardo Valeriano Brandão encontra a família de Raimundo Alves - gente miserável que aceita qualquer coisa por um pedaço de carne seca ou um punhado de sal. E o velho Raimundo não hesita em oferecer a filha mais velha, a bela e simplória Maria, em troca de alguns mantimentos, pois sabe que ela terá uma vida melhor se for embora com o desconhecido - e será uma boca a menos a saciar. Ricardo aceita a oferta mas libera Maria de seu compromisso de partir consigo. A moça prefere permanecer ao lado dos irmãos mais novos e Ricardo parte rumo ao seu destino, deixando para trás a imagem da bela sertaneja esfomeada que não lhe sairá da cabeça. Maria, por sua vez, também não consegue esquecer o seu bem-feitor e nutre a esperança de que algum dia ele retorne para tirar-lhe daquela vida miserável.

No movimentado povoado de Xique-Xique, na Chapada Diamantina, Ricardo se depara com uma moça idêntica a Maria Alves, não fosse suas vestes e seus modos de mulher fina e despachada. Vai ter com ela crente de que era a mesma esfomeada que deixara semanas atrás no sertão, mas a moça não gosta dos modos do tropeiro e o trata com desdém. Sentindo-se desprezado e completamente atordoado, Ricardo humilha a moça diante de todos, o que provoca os brios dos amigos dela, prontos a lhe defender. Na fuga Ricardo mata acidentalmente um dos valentões e temeroso de seu destino parte para os garimpos.

Nesse mesmo tempo, chega a Xique-Xique, a senhora Dona Rosária e uma moça que acolhera - a sertaneja Maria Alves que deixara a família após a morte do pai para tentar a vida e reencontrar seu tropeiro bem-feitor. Na nova cidade, Maria começa a ser confundida com a mais ilustre figura local: Maria Dusá. Mulher deslumbrante, de fino trato, desejada pelos homens e invejada pelas mulheres, Dusá é uma criatura expansiva e de grande influência entre os poderosos das redondezas. Em pouco tempo fica sabendo da presença de sua sósia na cidade, o que lhe faz lembrar do incidente com o tropeiro que a insultara. Curiosa, ela mesma vai conhecer a outra Maria e fica sabendo da triste história da moça pobre que perdera a família por conta da miséria, e cujo objetivo na vida era reencontrar o seu grande amor. Disposta a ajudar Mariazinha (como passa a tratá-la), Dusá parte no encalço de Ricardo para defazer o mal-entendido e levá-lo de volta aos braços de sua amada.

Mas Ricardo Valeriano Brandão tornara-se um homem amargo e desiludido, o que lhe deu forças para enriquecer nos garimpos e esquecer aquela que o fizera sofrer. Maria Dusá, por sua vez, não resiste àquele homem de caráter tão forte e acaba se apaixonando por ele. E esquecendo de seu compromisso com Maria Alves.

ELENCO

NÍVEA MARIA - Maria Alves / Maria Dusá
CLÁUDIO CAVALCANTI - Ricardo Valeriano Brandão
ROBERTO PIRILLO - Eduardinho
GILBERTO MARTINHO - Antônio Roxo
ROBERTO BOMFIM - Pingo D'Agua
HAROLDO DE OLIVEIRA - Felipe
ANA ARIEL - Rosária
EMILIANO QUEIRÓZ - João Felipe de Souza
CARLOS DUVAL - José Moutinho
ÍSIS KOSHDOSKI - Delfina
FELIPE WAGNER - Aristo Alfaiate
DORINHA DUVAL - Ana Maria
PATRÍCIA BUENO - Chiquinha do Tomba
CELSO DE VASCONCELOS - Mário Primo
ELISA FERNANDES - Chiquinha da Roda
MÁRIO GUSMÃO - Africano
ANTÔNIO PATIÑO - Braço Forte
AGNES FONTOURA - Donana
RENATO RESTIER - José Calixto
LOURDES MAYER - Florinda
LAFAYETTE GALVÃO - Bensabath
ARY COSLOV - Arthur
AUGUSTO OLÍMPIO - Capela
LÉA GARCIA - Rita
ADEMILTON JOSÉ - Benedito
HEMÍLCIO FRÓES - Dr. Rodrigo
JOEL SILVA - Joaquim
CLEMENTINO KELÉ - Manoel Pedro
SIDNEY MARQUES - Vem Cá
JOSÉ PRATA (PRATINHA) - Vai Lá
ANA FARIA - Aparecida
ARLINDO BARRETO - Luciano
BENÊ SILVA - João Caboclo
CATULO DE PAULA - Mestre Aurélio
CAUHÊ FILHO - Teixeira
CLEMENTE VISCAÍNO - Joaquim Manoel
CLEONIR DOS SANTOS - Bilo
DARCY DE SOUZA - Belinha
GERMANO FILHO - Oscar
GILBERTO COSTA - José Francisco
JANDIRA MUNIZ - Ritinha
JOANA DE SOUZA - Maria
JOTA BARROSO - José Bento
LEDA LÚCIA - Neném
LIA FARREL - Leocádia
MANOELA GONÇALVES - Norzinha
MARCELO VICCHI - João
MÁRCIA VICCHI - Dorinha
NAIR PRESTES - Mariana
NENA AINHOREM - Maroca
PAULO PINHEIRO - Cazuza
SUELI COSTA - Tereza
WILSON GREY - Raimundo Alves
LÍCIA MAGNA - Maria Rosa
GRANDE OTHELO - Preto Maravilha

BASTIDORES
Primeira novela de Manoel Carlos, que já havia adaptado diversos teleteatros para outras emissoras, além de ter escrito e dirigido programas humorísticos, musicais e de variedades.

Nívea Maria em papel duplo e interpretações distintas: a Maria Alves, pobre, com olhar singelo e gestos simples; e a Dusá, que tinha uma aristocracia roubada de Vivien Leigh em sua performance como Scarleth O'Hara. Tão Scarleth que o final propunha falas semelhantes e interpretações análogas ao ...E o Vento Levou.

Feliz adaptação e um grande sucesso do horário das seis, que além do requinte de superprodução, teve como grande mérito tirar o autor Lindolfo Rocha e sua principal obra do ostracismo em que se achavam desde o início desse século.

Nívea Maria lembra dessa novela como um de seus melhores trabalhos e uma das que mais gostou de atuar.

A ação se desenrola nas localidades de Lagoa Seca, Mucujê, Passagem e Xique-Xique, região do garimpo. Lá se encena a maior parte da história, iniciada a partir de 1860, um ano depois de uma das maiores secas de que se tem notícia no período e que resultou numa crise de alimentos conhecida como "a fome de 60".

A pesquisa histórica, sob a responsabilidade de Ana Maria Magalhães, fez um levantamento detalhado de costumes, vida social, vestimentas e religiosidade na região do garimpo nordestino no século XIX.

Para gravar as cenas externas do garimpo, a produção transformou uma área de mais de 100 mil metros quadrados em Maricá (RJ) numa falsa região de caatinga, árida e poeirenta. As cenas de Xique-Xique foram gravadas na cidade cenográfica de Guaratiba.

CURIOSIDADES

Foi a segunda telenovela do autor Manoel Carlos.

Teve Nívea Maria em papel duplo e interpretações distintas: Maria Alves, pobre, com olhar singelo e gestos simples; e a Maria Dusá, uma aristocrata.


TRILHA SONORA

01"As Moças" - Beth Carvalho
02"Cuando Fubá" - Ruy Maurity
03"Flor D'Água" - Banda de Pau e Corda
04"Romaria" - Renato Teixeira
05"Canto da Terra" - Flor de Xique-Xique
06"Olha Maria" - Orquestra Som Livre

2 comentários:

  1. porque nao nos dei o prazer de asistir uma das mais bela telenovela escritas por manoeu carlos! tudo que e bom fica no bau quardado a sete chaves, mas porque nao abrir e dar o previlegio da maioria que amou esta estoria e ja mais esqueceu, de revela novamente? este e um dos desejos que tenho! um grande abrasço a manoel carlos

    ResponderExcluir
  2. Eu tenho o último capitulo desta nvela. Mas tenho vontade de obter o capítulo 15, pois Ricardo Valeriano Brandão chega à cidade e ve pela janela um fezta na casa de Maria Dusá, e ele invade a casa, pensando sem a Dusá a Maria Alves pobre que ele deixou no sertão. Uma das maravilhosas novelas.... Amo e quero comprar um capítulo desta notável novela.

    ResponderExcluir