terça-feira, 14 de junho de 2011

NOVELA: SANGUE E AREIA (1967/68)

Autoria: Janete Clair
Direção: Daniel Filho e Régis Cardoso
Período de exibição: 18/12/1967 – 25/06/1968
Horário: 20h
Nº de capítulos: 135
Trama/ Personagens:

- Adaptada do romance homônimo de Vicente Blasco Ibañez, a trama gira em torno do toureiro Juan Gallardo (Tarcísio Meira). Ele se divide entre o amor da jovem e simples Pilar (Theresa Amayo) e da elegante Doña Sol (Glória Menezes), mulher fina que poderia lhe garantir a ambicionada ascensão social. O ponto alto da história se dá quando Sol arranca seus próprios olhos, como prova de amor a Juan Gallardo.

- O ator Amilton Fernandes, que interpretava o vilão da história, morreu num acidente de carro enquanto a novela ainda era exibida. Anos antes, ele havia ficado muito famoso fazendo Albertinho Limonta, na novela O Direito de Nascer, na TV Tupi (1965).
Produção:

- Tarcísio Meira conta que foi ao México com Daniel Filho com o objetivo de registrar cenas de touradas para serem utilizadas ao longo da novela. Como o custo das gravações externas era muito alto naquele país, eles recorreram a uma TV local e trouxeram imagens de um toureiro em ação, muito parecido com o ator. As imagens foram depois intercaladas às cenas de Tarcísio Meira, feitas na TV Globo.

- Uma arquibancada foi construída no terraço da emissora para simular uma praça de touradas. A figuração que fazia as vezes de platéia era composta por 25 pessoas sentadas em praticáveis de 1,5m por 3,5m. As câmeras eram posicionadas de forma que não aparecesse um prédio e algumas montanhas existentes atrás da sede da TV Globo. Nas cenas em que Juan Gallardo aparecia duelando com um touro miúra, Tarcísio Meira enfrentava, na verdade, uma roda de bicicleta com chifres acoplados, guiada pelo ator Fernando José.

- Os figurinos do toureiro Juan Gallardo também foram trazidos do México por Tarcísio Meira e Daniel Filho.

- A abertura da novela exibia imagens de um filme de touradas, intercaladas com takes de Tarcísio Meira. O ator fazia movimentos típicos de um toureiro, no estúdio cheio de areia, e as cenas eram depois superpostas às touradas reais. Ao fim da abertura, uma rosa caí no chão e, por cima dela, pinga uma gota de sangue.

Curiosidades:

- Daniel Filho assinava a direção da trama com o pseudônimo Carlos Ferrer. A idéia lhe foi dada por José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni. Daniel já usava seu nome verdadeiro em O Homem Proibido, trama de Glória Magadan, exibida simultaneamente, no horário das 21h30. Dividido entre os dois trabalhos, o diretor deixou Sangue e Areia, da estreante Janete Clair, por volta do capítulo 20, e passou a se dedicar integralmente a O Homem Proibido, da veterana Glória Magadan, que exigia mais atenção. Em Sangue e Areia, Daniel Filho foi substituído por Régis Cardoso.

- Esta foi a estréia de Glória Menezes e Tarcísio Meira na TV Globo, ambos vinham da TV Excelsior. Sangue e areia também marca a estréia de Myrian Pérsia e Arlete Salles na emissora, depois de trabalharem na TV Tupi.

- Com 22 anos na época, Arlete Salles teve que recorrer a uma pesada maquiagem para interpretar uma mulher 23 anos mais velha.

- Esta não foi a primeira adaptação de Sangue e Areia. O romance de Vicente Blasco Ibanez já havia sido transposto para o cinema em 1922, em filme mudo. Rodolfo Valentino era Juan Galhardo.

4 comentários:

  1. Parabéns pela iniciativa de postar matérias sobre as novelas antigas que fazem parte da historia da TV brasileira.

    Chico Nogueira.

    ResponderExcluir
  2. Esta foi uma novela que vale a pena ser reprisada.

    ResponderExcluir
  3. Esta foi uma novela que vale a pena ser reprisada.

    ResponderExcluir
  4. Bem que essa novela sangue e areia e irmãos coragem poderia voltar, gostaria muito de assistir, já que na época eu não era nascida..

    ResponderExcluir